Lugares e dicas para ancorar seu barco

Saber escolher o local de ancoragem e ancorar bem é crítico para todo comandante de veleiro. Neste post reuni um conjunto de recomendações e dicas práticas sobre ancoragem na região da Baía da Ilha Grande.

É muito fácil ancorar nesta região, mas alguns cuidados precisam ser tomados.

A ancoragem na região da Baía da Ilha Grande é tranquila, praticamente não há corrente de maré, a oscilação da maré é ao redor de 1 metro e o fundo é quase sempre de lama ou areia. Não me lembro de ter ouvido histórias de barcos que perderam ancoras presas no fundo.

Já quanto a histórias de momento de sufoco enquanto o barco estava ancorado a gente ouve bastante! E são sempre as mesmas histórias: entrou um vento forte quando o pessoal estava dormindo e o barco garrou (ou seja: começou a se mover porque a ancora soltou do fundo) e foi em direção às pedras, praia ou ilha; entrou vento forte e o outro barco garrou e veio pra cima da gente; entrou vento forte, os barcos estavam muito próximos, e começaram a bater uns nos outros.

 

Porque estas histórias se repetem tanto? Porque os comandantes destes barcos não respeitaram os procedimentos básicos de ancoragem, ancoraram em lugar errado e não ficaram atentos aos barcos ancorados ao redor.

Principais erros cometidos na ancoragem

Escolher errado o local de ancoragem

O que define se um lugar de ancoragem bom ou ruim é a previsão de vento e mar. O vento perigoso é o Sudoeste, que quando entra levanta o mar. Assim o local de ancoragem ruim é o que não te protege da entrada do SO. Veja dicas de locais abaixo:

 

Locais de ancoragem

Ancoragem no fundo do Saco do Mamanguá

Ancoragem em frente ao Pão de Açucar no Saco do Mamanguá

Ancoragem na Ilha da Cotia

Ancoragem da Ilha do Cedro

Não assegurar que a ancora unhou o fundo

Um erro de ancoragem que a gente frequentemente vê é o comandante levar o barco até o ponto de ancoragem, baixar a ancora com o barco parado ou algum movimento a ré. Assim que lançou toda corrente e cabo necessários a pessoa encerra a manobra de ancoragem, sem ter forçado o ferro a unhar o fundo.

É arriscado deixar entrar um vento forte para só ai saber se o ferro unhou! O recomendado é ir largando corrente e cabo com motor a ré, no mínimo. Assim que largou todo o cabo necessário, o movimento do barco vai esticar a corrente e você vai ver isso.

 

Neste momento coloque o motor no neutro e amarre o cabo da ancora no cunho para não forçar o guincho. Ai dê ré novamente, com no mínimo 1/3 da potencia do motor. Se unhar o funcho o cabo da ancora vai ficar bem esticado sem o barco sair do lugar. Com esta manobra você assegura que o ferro realmente unhou e aguenta até 1/3 da potencia do motor sem garrar.

 

Pronto, pode dormir sossegado!

Ancorar muito próximo de outros barcos

Barcos de diferentes tamanhos e formatos tem comportamento diferente numa entrada de vento forte. Próximo de morros o vento forte gira bastante e há o risco dos barcos próximos se chocarem.

 

Esse problema acontece principalmente nos feriados e épocas que os melhores locais de ancoragem ficam lotados, como por exemplo: Ilha da Cotia, Ilha do Cedro, Enseada de Sitio Forte. Não há o que fazer, as alternativas são evitar os locais lotados ou tratar de ancorar mais para fora, longe dos pontos mais cobiçados, principalmente se houver previsão de entrada de SO.

Ter um barco vizinho mal ancorado a Sudoeste

Quando ancoro sabendo que tem um SO para entrar trato de me posicionar para não ter nenhum barco a SO da minha posição. Para tal me aproximo da terra de tal forma que não haja espaço para outro barco ancorar entre meu barco e minha proteção do vento.

 

Se isso não for possível observo se os barcos no meu SO estão ancorando corretamente. Caso negativo vou gentilmente conversar com o comandante sobre o tempo ruim que está para entrar e a importância de tomar certos cuidados. Se não tiver sucesso prefiro levantar ferro e ancorar em outro lugar.

Lançar pouco cabo e corrente

Se há possibilidade de entrada de SO ou temporal, nunca largar menos de 6 x ( profundidade + altura do gurupés  + 1 metro de variação de maré). Ou seja, se você ancora em um local com 4 metros de profundidade e seu barco tem 1,5 metros de altura de gurupés lance 6x(4+1,5+1)= 39 metros de corrente.

 

Muitos se esquecem de considerar as variáveis altura do gurupés e maré e lançam somente 6 x profundidade, o que daria 24 metros apenas. 

Calcular a distância errada das pedras, praia ou ilha

Esse é o tipo do erro que acontece na virada de vento. Explicando melhor: no momento da ancoragem ventava Nordeste e a noite entra um SO um pouco mais forte fazendo o barco se aproximar perigosamente da praia.

Ver comentário sobre a virada do vento a noite 

A figura abaixo mostra um local de ancoragem bem tranquilo em frente à Ilha da Cotia, lugar bom de parar se não houver previsão de entrada de frente fria. O desenho mostra como procedo para ancorar durante o dia, com vento Nordeste, sabendo que de noite o vento vai rodar para Sudoeste.

 

O procedimento começa avançando em direção a terra, bem devagar, procurando localizar onde o limite de profundidade mínima (faço isso porque sei que não há lajes no local).

 

Chegando ao limite retorno rumo Sudoeste, a favor do vento, marcando uma distância de cerca de 100 metros.  Chegando nesse ponto imaginário lanço ancora e dou maquina a ré, contra o vento, ao mesmo tempo em que vou lançando corrente e cabo.

 

Deixo esticar bem a corrente para assegurar que o ferro unhou o fundo e a ancoragem foi feita.

 

A partir dai o  barco vai se reposicionar em função do vento e eu fico tranquilo com a certeza de ter o ferro unhado numa posição que não vai me deixar em apuros durante a noite quando o vento girar.

Agora se você quer saber o que é ancorar em uma situação crítica, se preparando para a entrada de um furacão, dê uma olhada no vídeo abaixo. Mas não se preocupe, isto não ocorre na Baía da Ilha Grande, graças a Deus!!!!